gw.toflyintheworld.com
Novas receitas

Abate de cães proibido no maior mercado de carne de cachorro da Coreia do Sul

Abate de cães proibido no maior mercado de carne de cachorro da Coreia do Sul


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.


O mercado supostamente vende 80.000 cães (vivos ou mortos) a cada ano

O Moran Market foi inaugurado na década de 1960.

Ativistas dos direitos dos animais lutaram para acabar com a polêmica prática de abate e abate de cães para alimentação nos mercados por meio de petições e protestos online. Seus esforços não foram em vão, como o maior mercado de carne de cachorro em Coreia do Sul está fechando suas instalações de abate.

O Moran Market, localizado em Seongnam, é famoso por colocar gaiolas cheias de cães esperando para serem comprados para abate.

Já na próxima semana, as instalações dos 22 vendedores de carne de cachorro do mercado serão confiscadas, O Independente relatado.

Esta é uma grande conquista para grupos de bem-estar animal; no entanto, os ativistas dos direitos dos animais ainda estão pressionando por uma proibição nacional da venda de comida de cachorro.

“A cidade de Seongnam deu um grande passo para mudar a indústria de carne de cachorro aqui”, disse Jang In-young, funcionário da Associação Coreana de Bem-Estar Animal, ao The Independent.

“Mas teremos que monitorar constantemente as lojas de carne de cachorro no mercado para ver se eles realmente param de abater cães e mudam seus negócios.”


Mirror acaba com o abate do mercado de cães na Coreia, já que o maior e mais notório fechou

O mercado, que fornece cerca de um terço da carne de cachorro do país, foi fechado depois que nossa investigação secreta expôs as terríveis condições de cães sendo mantidos em gaiolas e abatidos para comer

O abate de cães no maior mercado de carne de cachorro da Coreia do Sul foi proibido - depois que o Mirror expôs a crueldade por trás do comércio.

Nossos investigadores foram disfarçados nos mercados de Moran e Busan para revelar as condições angustiantes de centenas de cães em gaiolas, criados e abatidos para obter sua carne.

Moran é o maior e mais famoso mercado de carne de cachorro, fornecendo cerca de um terço da carne de cachorro do país.

Como parte de um acordo histórico, funcionários do governo na cidade de Seongnam confirmaram que as instalações de abate de cães e gaiolas serão removidas em Moran já na próxima semana, com desmontagem total concluída em maio.

Mais de 2,5 milhões de cães são criados todos os anos em 17.000 fazendas na Coréia do Sul. Seu único propósito é acabar como carne de cachorro em uma indústria amplamente não regulamentada.

Estima-se, desde a inauguração na década de 1960, mais de 4 milhões de cães foram vendidos vivos ou mortos apenas no mercado Moran.

O prefeito de Seongnam, Lee Jae-myung, citou Gandhi ao comentar que a medida para proibir o comércio de carne de cachorro não é apenas sobre o bem-estar animal, mas a reputação da cidade e da Coreia do Sul como um todo.

Consulte Mais informação
Artigos relacionados

Ele disse: “Tomaremos a iniciativa de transformar a imagem da Coreia do Sul, uma vez que‘ a grandeza de uma nação pode ser julgada pela forma como seus animais são tratados ’.”

Wendy Higgins, da Humane Society International, disse: “Com outros grupos de animais coreanos, nos reunimos com comerciantes de cães Moran inúmeras vezes, então é potencialmente importante que um acordo tenha sido alcançado entre o prefeito e os comerciantes de cães para trabalhar no sentido de fechá-lo.

“O objetivo final, porém, é interromper completamente o comércio de carne de cachorro no mercado de Moran, incluindo a venda de carne de cachorro.

“Junto com nossos parceiros KARA, monitoraremos a situação no local e ofereceremos nosso conselho e experiência às autoridades municipais no que esperamos seja uma consulta completa com a HSI e outros que lutaram tanto para acabar com esta indústria.

“Esta é apenas a primeira etapa, mas potencialmente muito significativa, possivelmente até uma virada de jogo em nossa campanha em andamento para ver e acabar com o comércio de carne de cachorro na Coreia do Sul.”

Apesar de saudar a mudança, a Associação Coreana de Bem-Estar Animal está preocupada que ela possa não ser totalmente implementada.

A associação disse: “Teremos que monitorar constantemente as lojas de carne de cachorro no mercado para ver se eles realmente param de abater cães, e o governo municipal também precisará continuar pressionando a ideia para proibir a venda de carne de cachorro aqui”.

O grupo de bem-estar animal In Defense of Animals também saudou o acordo, mas disse que também iria monitorar a situação.

O presidente do grupo sediado nos Estados Unidos, Dr. Marilyn Kroplick, disse: “Agradecemos às autoridades municipais por tomarem uma posição humana. Mas esperamos que os açougueiros de cães abram seus negócios sujos em outro lugar, então permaneceremos vigilantes e não descansaremos até retirarmos a carne de cachorro do menu para sempre. ”

O Mirror foi elogiado por expor a crueldade do comércio e dar aos leitores a chance de fornecer um lar para seis cães que salvamos do inferno de uma fazenda miserável.

O comediante Ricky Gervais, que usou sua fama internacional para protestar contra a crueldade contra os animais, disse: “Estou muito feliz que o Daily Mirror esteja abordando essa questão que, como amante de cães, me importo tanto.”]

Leitores arrecadam £ 4.600 para salvar cães

Leitores generosos do Daily Mirror arrecadaram mais de £ 4.600 para salvar cães destinados ao matadouro na Coreia do Sul.

Como parte de nosso relatório exclusivo mundial da Coreia do Sul, encontramos 200 animais mantidos em condições sujas em uma fazenda na província de Gangwon, cerca de 160 quilômetros a leste da capital Seul.

A instituição de caridade Humane Society International (HSI) está trabalhando para salvar os filhotes criados para sua carne, para dar-lhes um lar amoroso longe do horror da fazenda.

O dinheiro arrecadado com as doações irá para o resgate de seis cães que virão para o Reino Unido em janeiro. Os leitores espelho terão a chance de adotar um a partir do próximo mês.

Wendy Higgins, do His, disse: “Somos muito gratos aos leitores do Daily Mirror por doar, mas é preciso fazer mais para salvar esses cães do inferno do comércio de carne de cachorro.

“Cada vez que a HSI fecha uma fazenda de carne de cães e resgata os cães doentes e assustados que encontramos lá, sabemos muito bem que cada um deles foi planejado para terminar seus dias em um mercado como Moran, provavelmente eletrocutado antes de ser massacrado.

“É um final tão brutal para uma vida miserável.

“Cada pequena ajuda e ajuda a resgatar cães como estes de fazendas em toda a Coreia do Sul.”

Se você acha que pode dar a um desses cães de resgate um lar amoroso para sempre, para ser considerado, entre em contato com a All Dogs Matter em: alldogsmatter.co.uk/adopt-a-dog/

Se você quiser ajudar a Humane Society International a resgatar esses cães e interromper o comércio de carne de cachorro, envie uma mensagem de texto para WOOF03 £ 3 a 70070 para doar £ 3 ou envie WOOF03 £ 5 para 70070 para doar £ 5.


Mirror acaba com o abate do mercado de cães na Coreia, já que o maior e mais notório está fechado

O mercado, que fornece cerca de um terço da carne de cachorro do país, foi fechado depois que nossa investigação secreta expôs as terríveis condições de cães sendo mantidos em gaiolas e abatidos para comer

O abate de cães no maior mercado de carne de cachorro da Coreia do Sul foi proibido - depois que o Mirror expôs a crueldade por trás do comércio.

Nossos investigadores foram disfarçados nos mercados de Moran e Busan para revelar as condições angustiantes de centenas de cães em gaiolas, criados e abatidos para obter sua carne.

Moran é o maior e mais famoso mercado de carne de cachorro, fornecendo cerca de um terço da carne de cachorro do país.

Como parte de um acordo histórico, funcionários do governo na cidade de Seongnam confirmaram que as instalações de abate de cães e gaiolas serão removidas em Moran já na próxima semana, com desmontagem total concluída em maio.

Mais de 2,5 milhões de cães são criados todos os anos em 17.000 fazendas na Coréia do Sul. Seu único propósito é acabar como carne de cachorro em uma indústria amplamente não regulamentada.

Estima-se, desde a inauguração na década de 1960, mais de 4 milhões de cães foram vendidos vivos ou mortos apenas no mercado Moran.

O prefeito de Seongnam, Lee Jae-myung, citou Gandhi ao comentar que a medida para proibir o comércio de carne de cachorro não é apenas sobre o bem-estar animal, mas a reputação da cidade e da Coreia do Sul como um todo.

Consulte Mais informação
Artigos relacionados

Ele disse: “Tomaremos a iniciativa de transformar a imagem da Coreia do Sul, uma vez que‘ a grandeza de uma nação pode ser julgada pela forma como seus animais são tratados ’.”

Wendy Higgins, da Humane Society International, disse: “Com outros grupos de animais coreanos, nos reunimos com os comerciantes de cães Moran inúmeras vezes, então é potencialmente importante que um acordo tenha sido alcançado entre o prefeito e os comerciantes de cães para trabalhar no sentido de fechá-lo.

“O objetivo final, porém, é interromper completamente o comércio de carne de cachorro no mercado de Moran, incluindo a venda de carne de cachorro.

“Junto com nossos parceiros KARA, monitoraremos a situação no local e ofereceremos nosso conselho e experiência às autoridades municipais no que esperamos seja uma consulta completa com a HSI e outros que lutaram tanto para acabar com esta indústria.

“Esta é apenas a primeira etapa, mas potencialmente muito significativa, possivelmente até uma virada de jogo em nossa campanha em andamento para ver e acabar com o comércio de carne de cachorro na Coreia do Sul.”

Apesar de saudar a mudança, a Associação Coreana de Bem-Estar Animal está preocupada que ela possa não ser totalmente implementada.

A associação disse: “Teremos que monitorar constantemente as lojas de carne de cachorro no mercado para ver se eles realmente param de abater cães, e o governo municipal também precisará continuar pressionando a ideia para proibir a venda de carne de cachorro aqui”.

O grupo de bem-estar animal In Defense of Animals também saudou o acordo, mas disse que também iria monitorar a situação.

O presidente do grupo sediado nos Estados Unidos, Dr. Marilyn Kroplick, disse: “Agradecemos às autoridades municipais por tomarem uma posição humana. Mas esperamos que os açougueiros de cães abram seus negócios sujos em outro lugar, então permaneceremos vigilantes e não descansaremos até retirarmos a carne de cachorro do menu para sempre. ”

O Mirror foi elogiado por expor a crueldade do comércio e dar aos leitores a chance de fornecer um lar para seis cães que salvamos do inferno de uma fazenda miserável.

O comediante Ricky Gervais, que usou sua fama internacional para protestar contra a crueldade contra os animais, disse: “Estou muito feliz que o Daily Mirror esteja abordando essa questão que, como amante de cães, me importo tanto.”]

Leitores arrecadam £ 4.600 para salvar cães

Leitores generosos do Daily Mirror arrecadaram mais de £ 4.600 para salvar cães destinados ao matadouro na Coreia do Sul.

Como parte de nosso relatório exclusivo mundial da Coreia do Sul, encontramos 200 animais mantidos em condições sujas em uma fazenda na província de Gangwon, cerca de 160 quilômetros a leste da capital Seul.

A instituição de caridade Humane Society International (HSI) está trabalhando para salvar os filhotes criados para sua carne, para dar-lhes um lar amoroso longe do horror da fazenda.

O dinheiro arrecadado com as doações irá para o resgate de seis cães que virão para o Reino Unido em janeiro. Os leitores espelho terão a chance de adotar um a partir do próximo mês.

Wendy Higgins, do His, disse: “Somos muito gratos aos leitores do Daily Mirror por doar, mas é preciso fazer mais para salvar esses cães do inferno do comércio de carne de cachorro.

“Cada vez que a HSI fecha uma fazenda de carne de cães e resgata os cães doentes e assustados que encontramos lá, sabemos muito bem que cada um deles foi planejado para terminar seus dias em um mercado como o de Moran, provavelmente eletrocutado antes de ser massacrado.

“É um fim tão brutal para uma vida miserável.

“Cada pequena ajuda e ajuda a resgatar cães como estes de fazendas em toda a Coreia do Sul.”

Se você acha que pode dar a um desses cães de resgate um lar amoroso para sempre, para ser considerado, entre em contato com a All Dogs Matter em: alldogsmatter.co.uk/adopt-a-dog/

Se você quiser ajudar a Humane Society International a resgatar esses cães e interromper o comércio de carne de cachorro, envie uma mensagem de texto para WOOF03 £ 3 a 70070 para doar £ 3 ou envie WOOF03 £ 5 a 70070 para doar £ 5.


Mirror acaba com o abate do mercado de cães na Coreia, já que o maior e mais notório está fechado

O mercado, que fornece cerca de um terço da carne de cachorro do país, foi fechado depois que nossa investigação secreta expôs as terríveis condições de cães sendo mantidos em gaiolas e abatidos para comer

O abate de cães no maior mercado de carne de cachorro da Coreia do Sul foi proibido - depois que o Mirror expôs a crueldade por trás do comércio.

Nossos investigadores foram disfarçados nos mercados de Moran e Busan para revelar as condições angustiantes de centenas de cães em gaiolas, criados e abatidos para obter sua carne.

Moran é o maior e mais famoso mercado de carne de cachorro, fornecendo cerca de um terço da carne de cachorro do país.

Como parte de um acordo histórico, funcionários do governo na cidade de Seongnam confirmaram que as instalações de abate de cães e gaiolas serão removidas em Moran já na próxima semana, com desmontagem total concluída em maio.

Mais de 2,5 milhões de cães são criados todos os anos em 17.000 fazendas na Coreia do Sul. Seu único propósito é acabar como carne de cachorro em uma indústria amplamente não regulamentada.

Estima-se, desde a inauguração na década de 1960, mais de 4 milhões de cães foram vendidos vivos ou mortos apenas no mercado Moran.

O prefeito de Seongnam, Lee Jae-myung, citou Gandhi ao comentar que a medida para proibir o comércio de carne de cachorro não é apenas sobre o bem-estar animal, mas a reputação da cidade e da Coreia do Sul como um todo.

Consulte Mais informação
Artigos relacionados

Ele disse: “Tomaremos a iniciativa de transformar a imagem da Coreia do Sul, uma vez que‘ a grandeza de uma nação pode ser julgada pela forma como seus animais são tratados ’.”

Wendy Higgins, da Humane Society International, disse: “Com outros grupos de animais coreanos, nos reunimos com os comerciantes de cães Moran inúmeras vezes, então é potencialmente importante que um acordo tenha sido alcançado entre o prefeito e os comerciantes de cães para trabalhar no sentido de fechá-lo.

“O objetivo final, porém, é interromper completamente o comércio de carne de cachorro no mercado de Moran, incluindo a venda de carne de cachorro.

“Junto com nossos parceiros KARA, monitoraremos a situação no local e ofereceremos nosso conselho e experiência às autoridades municipais no que esperamos seja uma consulta completa com a HSI e outros que lutaram tanto para acabar com esta indústria.

“Esta é apenas a primeira etapa, mas potencialmente muito significativa, possivelmente até uma virada de jogo em nossa campanha em andamento para ver e acabar com o comércio de carne de cachorro na Coreia do Sul.”

Apesar de saudar a mudança, a Associação Coreana de Bem-Estar Animal está preocupada que ela possa não ser totalmente implementada.

A associação disse: “Teremos que monitorar constantemente as lojas de carne de cachorro no mercado para ver se eles realmente param de abater cães, e o governo municipal também precisará continuar pressionando a ideia para proibir a venda de carne de cachorro aqui”.

O grupo de bem-estar animal In Defense of Animals também saudou o acordo, mas disse que também iria monitorar a situação.

O presidente do grupo sediado nos Estados Unidos, Dr. Marilyn Kroplick, disse: “Agradecemos às autoridades municipais por tomarem uma posição humana. Mas esperamos que os açougueiros de cães abram seus negócios sujos em outro lugar, então permaneceremos vigilantes e não descansaremos até retirarmos a carne de cachorro do menu para sempre. ”

O Mirror foi elogiado por expor a crueldade do comércio e dar aos leitores a chance de fornecer um lar para seis cães que salvamos do inferno de uma fazenda miserável.

O comediante Ricky Gervais, que usou sua fama internacional para protestar contra a crueldade contra os animais, disse: “Estou muito feliz que o Daily Mirror esteja abordando essa questão que, como amante de cães, me importo tanto.”]

Leitores arrecadam £ 4.600 para salvar cães

Leitores generosos do Daily Mirror arrecadaram mais de £ 4.600 para salvar cães destinados ao matadouro na Coreia do Sul.

Como parte de nosso relatório exclusivo mundial da Coreia do Sul, encontramos 200 animais mantidos em condições sujas em uma fazenda na província de Gangwon, cerca de 160 quilômetros a leste da capital Seul.

A instituição de caridade Humane Society International (HSI) está trabalhando para salvar os filhotes criados para sua carne, para dar-lhes um lar amoroso longe do horror da fazenda.

O dinheiro arrecadado com as doações irá para o resgate de seis cães que virão para o Reino Unido em janeiro. Os leitores espelho terão a chance de adotar um a partir do próximo mês.

Wendy Higgins, do His, disse: “Somos muito gratos aos leitores do Daily Mirror por doar, mas é preciso fazer mais para salvar esses cães do inferno do comércio de carne de cachorro.

“Cada vez que a HSI fecha uma fazenda de carne de cães e resgata os cães doentes e assustados que encontramos lá, sabemos muito bem que cada um deles foi planejado para terminar seus dias em um mercado como o de Moran, provavelmente eletrocutado antes de ser massacrado.

“É um final tão brutal para uma vida miserável.

“Cada pequena ajuda e ajuda a resgatar cães como estes de fazendas em toda a Coreia do Sul.”

Se você acha que pode dar a um desses cães de resgate um lar amoroso para sempre, para ser considerado, entre em contato com a All Dogs Matter em: alldogsmatter.co.uk/adopt-a-dog/

Se você quiser ajudar a Humane Society International a resgatar esses cães e interromper o comércio de carne de cachorro, envie uma mensagem de texto para WOOF03 £ 3 a 70070 para doar £ 3 ou envie WOOF03 £ 5 para 70070 para doar £ 5.


Mirror acaba com o abate do mercado de cães na Coreia, já que o maior e mais notório está fechado

O mercado, que fornece cerca de um terço da carne de cachorro do país, foi fechado depois que nossa investigação secreta expôs as terríveis condições de cães sendo mantidos em gaiolas e abatidos para comer

O abate de cães no maior mercado de carne de cachorro da Coreia do Sul foi proibido - depois que o Mirror expôs a crueldade por trás do comércio.

Nossos investigadores foram disfarçados nos mercados de Moran e Busan para revelar as condições angustiantes de centenas de cães em gaiolas, criados e abatidos para obter sua carne.

Moran é o maior e mais famoso mercado de carne de cachorro, fornecendo cerca de um terço da carne de cachorro do país.

Como parte de um acordo histórico, funcionários do governo na cidade de Seongnam confirmaram que as instalações de abate de cães e gaiolas serão removidas em Moran já na próxima semana, com desmontagem total concluída em maio.

Mais de 2,5 milhões de cães são criados todos os anos em 17.000 fazendas na Coréia do Sul. Seu único propósito é acabar como carne de cachorro em uma indústria amplamente desregulamentada.

Estima-se, desde a inauguração na década de 1960, mais de 4 milhões de cães foram vendidos vivos ou mortos apenas no mercado Moran.

O prefeito de Seongnam, Lee Jae-myung, citou Gandhi ao comentar que a medida para proibir o comércio de carne de cachorro não é apenas sobre o bem-estar animal, mas a reputação da cidade e da Coreia do Sul como um todo.

Consulte Mais informação
Artigos relacionados

Ele disse: “Tomaremos a iniciativa de transformar a imagem da Coreia do Sul, uma vez que‘ a grandeza de uma nação pode ser julgada pela forma como seus animais são tratados ’.”

Wendy Higgins, da Humane Society International, disse: “Com outros grupos de animais coreanos, nos reunimos com os comerciantes de cães Moran inúmeras vezes, então é potencialmente importante que um acordo tenha sido alcançado entre o prefeito e os comerciantes de cães para trabalhar no sentido de fechá-lo.

“O objetivo final, porém, é interromper completamente o comércio de carne de cachorro no mercado de Moran, incluindo a venda de carne de cachorro.

“Junto com nossos parceiros KARA, monitoraremos a situação no local e ofereceremos nosso conselho e experiência às autoridades municipais no que esperamos seja uma consulta completa com a HSI e outros que lutaram tanto para acabar com esta indústria.

“Esta é apenas a primeira etapa, mas potencialmente muito significativa, possivelmente até uma virada de jogo em nossa campanha em andamento para ver e acabar com o comércio de carne de cachorro na Coreia do Sul.”

Apesar de saudar a mudança, a Associação Coreana de Bem-Estar Animal está preocupada que ela possa não ser totalmente implementada.

A associação disse: “Teremos que monitorar constantemente as lojas de carne de cachorro no mercado para ver se eles realmente param de abater cães, e o governo municipal também precisará continuar pressionando a ideia para proibir a venda de carne de cachorro aqui”.

O grupo de bem-estar animal In Defense of Animals também saudou o acordo, mas disse que também iria monitorar a situação.

O presidente do grupo sediado nos Estados Unidos, Dr. Marilyn Kroplick, disse: “Agradecemos às autoridades municipais por tomarem uma posição humana. Mas esperamos que os açougueiros de cães abram seus negócios sujos em outro lugar, então permaneceremos vigilantes e não descansaremos até retirarmos a carne de cachorro do menu para sempre. ”

O Mirror foi elogiado por expor a crueldade do comércio e dar aos leitores a chance de fornecer um lar para seis cães que salvamos do inferno de uma fazenda miserável.

O comediante Ricky Gervais, que usou sua fama internacional para protestar contra a crueldade contra os animais, disse: “Estou muito feliz que o Daily Mirror esteja abordando essa questão que, como amante de cães, me importo tanto.”]

Leitores arrecadam £ 4.600 para salvar cães

Leitores generosos do Daily Mirror arrecadaram mais de £ 4.600 para salvar cães destinados ao matadouro na Coreia do Sul.

Como parte de nosso relatório exclusivo mundial da Coreia do Sul, encontramos 200 animais mantidos em condições sujas em uma fazenda na província de Gangwon, cerca de 160 quilômetros a leste da capital Seul.

A instituição de caridade Humane Society International (HSI) está trabalhando para salvar os filhotes criados para sua carne, para dar-lhes um lar amoroso longe do horror da fazenda.

O dinheiro arrecadado com as doações irá para o resgate de seis cães que virão para o Reino Unido em janeiro. Os leitores espelho terão a chance de adotar um a partir do próximo mês.

Wendy Higgins, do His, disse: “Somos muito gratos aos leitores do Daily Mirror por doar, mas é preciso fazer mais para salvar esses cães do inferno do comércio de carne de cachorro.

“Cada vez que a HSI fecha uma fazenda de carne de cães e resgata os cães doentes e assustados que encontramos lá, sabemos muito bem que cada um deles foi planejado para terminar seus dias em um mercado como o de Moran, provavelmente eletrocutado antes de ser massacrado.

“É um final tão brutal para uma vida miserável.

“Cada pequena ajuda e ajuda a resgatar cães como estes de fazendas em toda a Coreia do Sul.”

Se você acha que pode dar a um desses cães de resgate um lar amoroso para sempre, para ser considerado, entre em contato com a All Dogs Matter em: alldogsmatter.co.uk/adopt-a-dog/

Se você quiser ajudar a Humane Society International a resgatar esses cães e interromper o comércio de carne de cachorro, envie uma mensagem de texto para WOOF03 £ 3 a 70070 para doar £ 3 ou envie WOOF03 £ 5 para 70070 para doar £ 5.


Mirror acaba com o abate do mercado de cães na Coreia, já que o maior e mais notório fechou

O mercado, que fornece cerca de um terço da carne de cachorro do país, foi fechado depois que nossa investigação secreta expôs as terríveis condições de cães sendo mantidos em gaiolas e abatidos para comer

O abate de cães no maior mercado de carne de cachorro da Coreia do Sul foi proibido - depois que o Mirror expôs a crueldade por trás do comércio.

Nossos investigadores foram disfarçados nos mercados de Moran e Busan para revelar as condições angustiantes de centenas de cães em gaiolas, criados e abatidos para obter sua carne.

Moran é o maior e mais famoso mercado de carne de cachorro, fornecendo cerca de um terço da carne de cachorro do país.

Como parte de um acordo histórico, funcionários do governo na cidade de Seongnam confirmaram que as instalações de abate de cães e gaiolas serão removidas em Moran já na próxima semana, com desmontagem total concluída em maio.

Mais de 2,5 milhões de cães são criados todos os anos em 17.000 fazendas na Coreia do Sul. Seu único propósito é acabar como carne de cachorro em uma indústria amplamente desregulamentada.

Estima-se, desde a inauguração na década de 1960, mais de 4 milhões de cães foram vendidos vivos ou mortos apenas no mercado Moran.

O prefeito de Seongnam, Lee Jae-myung, citou Gandhi ao comentar que a medida para proibir o comércio de carne de cachorro não é apenas sobre o bem-estar animal, mas a reputação da cidade e da Coreia do Sul como um todo.

Consulte Mais informação
Artigos relacionados

Ele disse: “Tomaremos a iniciativa de transformar a imagem da Coreia do Sul, uma vez que‘ a grandeza de uma nação pode ser julgada pela forma como seus animais são tratados ’.”

Wendy Higgins, da Humane Society International, disse: “Com outros grupos de animais coreanos, nos reunimos com comerciantes de cães Moran inúmeras vezes, então é potencialmente importante que um acordo tenha sido alcançado entre o prefeito e os comerciantes de cães para trabalhar no sentido de fechá-lo.

“O objetivo final, porém, é interromper completamente o comércio de carne de cachorro no mercado de Moran, incluindo a venda de carne de cachorro.

“Junto com nossos parceiros KARA, monitoraremos a situação no local e ofereceremos nosso conselho e experiência às autoridades municipais no que esperamos seja uma consulta completa com a HSI e outros que lutaram tanto para acabar com esta indústria.

“Esta é apenas a primeira etapa, mas potencialmente muito significativa, possivelmente até uma virada de jogo em nossa campanha em andamento para ver e acabar com o comércio de carne de cachorro na Coreia do Sul.”

Apesar de saudar a mudança, a Associação Coreana de Bem-Estar Animal está preocupada que ela possa não ser totalmente implementada.

A associação disse: “Teremos que monitorar constantemente as lojas de carne de cachorro no mercado para ver se eles realmente param de abater cães, e o governo municipal também precisará continuar pressionando a ideia para proibir a venda de carne de cachorro aqui”.

O grupo de bem-estar animal In Defense of Animals também saudou o acordo, mas disse que também iria monitorar a situação.

O presidente do grupo sediado nos Estados Unidos, Dr. Marilyn Kroplick, disse: “Agradecemos às autoridades municipais por tomarem uma posição humana. Mas esperamos que os açougueiros de cães abram seus negócios sujos em outro lugar, então permaneceremos vigilantes e não descansaremos até retirarmos a carne de cachorro do menu para sempre. ”

O Mirror foi elogiado por expor a crueldade do comércio e dar aos leitores a chance de fornecer um lar para seis cães que salvamos do inferno de uma fazenda miserável.

O comediante Ricky Gervais, que usou sua fama internacional para protestar contra a crueldade contra os animais, disse: “Estou muito feliz que o Daily Mirror esteja abordando essa questão que, como amante de cães, me importo tanto.”]

Leitores arrecadam £ 4.600 para salvar cães

Leitores generosos do Daily Mirror arrecadaram mais de £ 4.600 para salvar cães destinados ao matadouro na Coreia do Sul.

Como parte de nosso relatório exclusivo mundial da Coreia do Sul, encontramos 200 animais mantidos em condições sujas em uma fazenda na província de Gangwon, cerca de 160 quilômetros a leste da capital Seul.

A instituição de caridade Humane Society International (HSI) está trabalhando para salvar os filhotes criados para sua carne, para dar-lhes um lar amoroso longe do horror da fazenda.

O dinheiro arrecadado com as doações irá para o resgate de seis cães que virão para o Reino Unido em janeiro. Os leitores espelho terão a chance de adotar um a partir do próximo mês.

Wendy Higgins, do His, disse: “Somos muito gratos aos leitores do Daily Mirror por doar, mas é preciso fazer mais para salvar esses cães do inferno do comércio de carne de cachorro.

“Cada vez que a HSI fecha uma fazenda de carne de cães e resgata os cães doentes e assustados que encontramos lá, sabemos muito bem que cada um deles foi planejado para terminar seus dias em um mercado como Moran, provavelmente eletrocutado antes de ser massacrado.

“É um fim tão brutal para uma vida miserável.

“Cada pequena ajuda e ajuda a resgatar cães como estes de fazendas em toda a Coreia do Sul.”

Se você acha que pode dar a um desses cães de resgate um lar amoroso para sempre, para ser considerado, entre em contato com a All Dogs Matter em: alldogsmatter.co.uk/adopt-a-dog/

Se você quiser ajudar a Humane Society International a resgatar esses cães e interromper o comércio de carne de cachorro, envie uma mensagem de texto para WOOF03 £ 3 a 70070 para doar £ 3 ou envie WOOF03 £ 5 a 70070 para doar £ 5.


Mirror acaba com o abate do mercado de cães na Coreia, já que o maior e mais notório fechou

O mercado, que fornece cerca de um terço da carne de cachorro do país, foi fechado depois que nossa investigação secreta expôs as terríveis condições de cães sendo mantidos em gaiolas e abatidos para comer

O abate de cães no maior mercado de carne de cachorro da Coreia do Sul foi proibido - depois que o Mirror expôs a crueldade por trás do comércio.

Nossos investigadores foram disfarçados nos mercados de Moran e Busan para revelar as condições angustiantes de centenas de cães em gaiolas, criados e abatidos para obter sua carne.

Moran é o maior e mais famoso mercado de carne de cachorro, fornecendo cerca de um terço da carne de cachorro do país.

Como parte de um acordo histórico, funcionários do governo na cidade de Seongnam confirmaram que as instalações de abate de cães e gaiolas serão removidas em Moran já na próxima semana, com desmontagem total concluída em maio.

Mais de 2,5 milhões de cães são criados todos os anos em 17.000 fazendas na Coreia do Sul. Seu único propósito é acabar como carne de cachorro em uma indústria amplamente desregulamentada.

Estima-se, desde a inauguração na década de 1960, mais de 4 milhões de cães foram vendidos vivos ou mortos apenas no mercado Moran.

O prefeito de Seongnam, Lee Jae-myung, citou Gandhi ao comentar que a medida para proibir o comércio de carne de cachorro não é apenas sobre o bem-estar animal, mas a reputação da cidade e da Coreia do Sul como um todo.

Consulte Mais informação
Artigos relacionados

Ele disse: “Tomaremos a iniciativa de transformar a imagem da Coreia do Sul, uma vez que‘ a grandeza de uma nação pode ser julgada pela forma como seus animais são tratados ’.”

Wendy Higgins, da Humane Society International, disse: “Com outros grupos de animais coreanos, nos reunimos com os comerciantes de cães Moran inúmeras vezes, então é potencialmente importante que um acordo tenha sido alcançado entre o prefeito e os comerciantes de cães para trabalhar no sentido de fechá-lo.

“O objetivo final, porém, é interromper completamente o comércio de carne de cachorro no mercado de Moran, incluindo a venda de carne de cachorro.

“Junto com nossos parceiros KARA, monitoraremos a situação no local e ofereceremos nosso conselho e experiência às autoridades municipais no que esperamos seja uma consulta completa com a HSI e outros que lutaram tanto para acabar com esta indústria.

“Esta é apenas a primeira etapa, mas potencialmente muito significativa, possivelmente até uma virada de jogo em nossa campanha em andamento para ver e acabar com o comércio de carne de cachorro na Coreia do Sul.”

Apesar de saudar a mudança, a Associação Coreana de Bem-Estar Animal está preocupada que ela possa não ser totalmente implementada.

A associação disse: “Teremos que monitorar constantemente as lojas de carne de cachorro no mercado para ver se eles realmente param de abater cães, e o governo municipal também precisará continuar pressionando a ideia para proibir a venda de carne de cachorro aqui”.

O grupo de bem-estar animal In Defense of Animals também saudou o acordo, mas disse que também iria monitorar a situação.

O presidente do grupo sediado nos Estados Unidos, Dr. Marilyn Kroplick, disse: “Agradecemos às autoridades municipais por tomarem uma posição humana. Mas esperamos que os açougueiros de cães abram seus negócios sujos em outro lugar, então permaneceremos vigilantes e não descansaremos até retirarmos a carne de cachorro do menu para sempre. ”

O Mirror foi elogiado por expor a crueldade do comércio e dar aos leitores a chance de fornecer um lar para seis cães que salvamos do inferno de uma fazenda miserável.

O comediante Ricky Gervais, que usou sua fama internacional para protestar contra a crueldade contra os animais, disse: “Estou muito feliz que o Daily Mirror esteja abordando essa questão que, como amante de cães, me importo tanto.”]

Leitores arrecadam £ 4.600 para salvar cães

Leitores generosos do Daily Mirror arrecadaram mais de £ 4.600 para salvar cães destinados ao matadouro na Coreia do Sul.

Como parte de nosso relatório exclusivo mundial da Coreia do Sul, encontramos 200 animais mantidos em condições sujas em uma fazenda na província de Gangwon, cerca de 160 quilômetros a leste da capital Seul.

A instituição de caridade Humane Society International (HSI) está trabalhando para salvar os filhotes criados para sua carne, para dar-lhes um lar amoroso longe do horror da fazenda.

Money raised from donations will go towards rescuing six dogs due to come to the UK in January. Mirror readers will have the chance to adopt one from next month.

Wendy Higgins from His said: “We are so grateful to Daily Mirror readers for donating but more must be done to save these dogs from the hell of the dog meat trade.

“Every time HSI closes down a dog meat farm, and rescues the sick and frightened dogs we find there, we know only too well that every single one of them was intended to end their days in a market like Moran, most likely electrocuted before being butchered.

“It’s such a brutal end to a miserable life.

“Every little helps and goes towards rescuing dogs like these from farms across South Korea.”

If you feel you can give one of these rescue dogs a loving forever home then, to be considered, contact All Dogs Matter at: alldogsmatter.co.uk/adopt-a-dog/

If you would like to help Humane Society International rescue these dogs and stop the dog meat trade, please text WOOF03 £3 to 70070 to donate £3, or text WOOF03 £5 to 70070 to donate £5.


Mirror ends dog market slaughter in Korea as largest and most notorious is shut down

The market, which supplies about a third of the country's dog meat, has been closed after our undercover investigation exposed the horrific of conditions of dogs being held in cages and slaughtered to eat

The slaughter of dogs in South Korea’s largest dog meat market has been banned – after the Mirror exposed the cruelty behind the trade .

Our investigators went undercover at the Moran and Busan markets to reveal distressing conditions of hundreds of dogs in cages, bred and butchered for their meat.

Moran is the largest and most notorious dog meat market, supplying about a third of the country’s dog meat.

As part of a landmark deal, government officials in the city of Seongnam confirmed dog slaughter facilities and cages will be removed at Moran as early as next week, with full dismantling complete by May.

More than 2.5 million dogs are bred every year on 17,000 farms in South Korea. Their sole purpose is to end up as dog meat in the largely unregulated industry.

It is estimated, since opening in the 1960s, more than 4 million dogs have been sold dead or alive at Moran market alone.

Seongnam Mayor Lee Jae-myung quoted Gandhi when commenting the move to ban the dog meat trade is not only about animal welfare, but the reputation of both the city and South Korea as a whole.

Consulte Mais informação
Artigos relacionados

He said: “We will take the initiative to transform South Korea’s image since ‘the greatness of a nation can be judged by the way its animals are treated’.”

Wendy Higgins of Humane Society International, said: “With other Korean animal groups we have met with Moran dog traders numerous times, so it is potentially momentous that an agreement has been reached between the mayor and dog traders to work towards closing it down.

“The ultimate goal though is to stop the dog meat trade in Moran market completely, including the sale of dog meat.

“Together with our partners KARA, we will monitor the situation on the ground and offer our advice and expertise to the city authorities in what we hope will be full consultation with HSI and others who have fought so hard to end this industry.

“This is just the first step, but a potentially very significant one indeed, possibly even a game changer in our ongoing campaign to see and end to the dog meat trade in South Korea.”

While welcoming the change, the Korean Animal Welfare Association is concerned it might not be fully implemented.

The association said: “We will have to constantly monitor dog meat shops in the market to see if they really stop slaughtering dogs, and the city government will also need to keep pushing the idea to ultimately ban the sales of dog meat here.”

Animal welfare group In Defense of Animals also welcomed the deal but said they too would monitor the situation.

The US based group’s President, Dr. Marilyn Kroplick said: “We thank city officials for taking a humane position. But we expect the dog butchers to set up their dirty business elsewhere, so we’ll remain vigilant and won’t rest until we take dog meat off the menu for good.”

The Mirror was praised for exposing the cruelty of the trade and giving readers the chance to provide a home to six dogs we saved from the hell of a squalid farm.

Comedian Ricky Gervais , who has used his international fame to protest against animal cruelty, said: “I am really glad the Daily Mirror is taking on this issue which, as a dog lover, I care so deeply about.”]

Readers raise £4,600 to save dogs

Generous Daily Mirror readers have raised more than £4,600 to save dogs destined for the slaughterhouse in South Korea.

As part of our world exclusive report from South Korea, we found 200 animals kept in filthy conditions at a farm in Gangwon province, about 100 miles east of the capital Seoul.

The charity Humane Society International (HSI) is working to save the pups bred for their meat, to give them a loving home away from the horror of the farm.

Money raised from donations will go towards rescuing six dogs due to come to the UK in January. Mirror readers will have the chance to adopt one from next month.

Wendy Higgins from His said: “We are so grateful to Daily Mirror readers for donating but more must be done to save these dogs from the hell of the dog meat trade.

“Every time HSI closes down a dog meat farm, and rescues the sick and frightened dogs we find there, we know only too well that every single one of them was intended to end their days in a market like Moran, most likely electrocuted before being butchered.

“It’s such a brutal end to a miserable life.

“Every little helps and goes towards rescuing dogs like these from farms across South Korea.”

If you feel you can give one of these rescue dogs a loving forever home then, to be considered, contact All Dogs Matter at: alldogsmatter.co.uk/adopt-a-dog/

If you would like to help Humane Society International rescue these dogs and stop the dog meat trade, please text WOOF03 £3 to 70070 to donate £3, or text WOOF03 £5 to 70070 to donate £5.


Mirror ends dog market slaughter in Korea as largest and most notorious is shut down

The market, which supplies about a third of the country's dog meat, has been closed after our undercover investigation exposed the horrific of conditions of dogs being held in cages and slaughtered to eat

The slaughter of dogs in South Korea’s largest dog meat market has been banned – after the Mirror exposed the cruelty behind the trade .

Our investigators went undercover at the Moran and Busan markets to reveal distressing conditions of hundreds of dogs in cages, bred and butchered for their meat.

Moran is the largest and most notorious dog meat market, supplying about a third of the country’s dog meat.

As part of a landmark deal, government officials in the city of Seongnam confirmed dog slaughter facilities and cages will be removed at Moran as early as next week, with full dismantling complete by May.

More than 2.5 million dogs are bred every year on 17,000 farms in South Korea. Their sole purpose is to end up as dog meat in the largely unregulated industry.

It is estimated, since opening in the 1960s, more than 4 million dogs have been sold dead or alive at Moran market alone.

Seongnam Mayor Lee Jae-myung quoted Gandhi when commenting the move to ban the dog meat trade is not only about animal welfare, but the reputation of both the city and South Korea as a whole.

Consulte Mais informação
Artigos relacionados

He said: “We will take the initiative to transform South Korea’s image since ‘the greatness of a nation can be judged by the way its animals are treated’.”

Wendy Higgins of Humane Society International, said: “With other Korean animal groups we have met with Moran dog traders numerous times, so it is potentially momentous that an agreement has been reached between the mayor and dog traders to work towards closing it down.

“The ultimate goal though is to stop the dog meat trade in Moran market completely, including the sale of dog meat.

“Together with our partners KARA, we will monitor the situation on the ground and offer our advice and expertise to the city authorities in what we hope will be full consultation with HSI and others who have fought so hard to end this industry.

“This is just the first step, but a potentially very significant one indeed, possibly even a game changer in our ongoing campaign to see and end to the dog meat trade in South Korea.”

While welcoming the change, the Korean Animal Welfare Association is concerned it might not be fully implemented.

The association said: “We will have to constantly monitor dog meat shops in the market to see if they really stop slaughtering dogs, and the city government will also need to keep pushing the idea to ultimately ban the sales of dog meat here.”

Animal welfare group In Defense of Animals also welcomed the deal but said they too would monitor the situation.

The US based group’s President, Dr. Marilyn Kroplick said: “We thank city officials for taking a humane position. But we expect the dog butchers to set up their dirty business elsewhere, so we’ll remain vigilant and won’t rest until we take dog meat off the menu for good.”

The Mirror was praised for exposing the cruelty of the trade and giving readers the chance to provide a home to six dogs we saved from the hell of a squalid farm.

Comedian Ricky Gervais , who has used his international fame to protest against animal cruelty, said: “I am really glad the Daily Mirror is taking on this issue which, as a dog lover, I care so deeply about.”]

Readers raise £4,600 to save dogs

Generous Daily Mirror readers have raised more than £4,600 to save dogs destined for the slaughterhouse in South Korea.

As part of our world exclusive report from South Korea, we found 200 animals kept in filthy conditions at a farm in Gangwon province, about 100 miles east of the capital Seoul.

The charity Humane Society International (HSI) is working to save the pups bred for their meat, to give them a loving home away from the horror of the farm.

Money raised from donations will go towards rescuing six dogs due to come to the UK in January. Mirror readers will have the chance to adopt one from next month.

Wendy Higgins from His said: “We are so grateful to Daily Mirror readers for donating but more must be done to save these dogs from the hell of the dog meat trade.

“Every time HSI closes down a dog meat farm, and rescues the sick and frightened dogs we find there, we know only too well that every single one of them was intended to end their days in a market like Moran, most likely electrocuted before being butchered.

“It’s such a brutal end to a miserable life.

“Every little helps and goes towards rescuing dogs like these from farms across South Korea.”

If you feel you can give one of these rescue dogs a loving forever home then, to be considered, contact All Dogs Matter at: alldogsmatter.co.uk/adopt-a-dog/

If you would like to help Humane Society International rescue these dogs and stop the dog meat trade, please text WOOF03 £3 to 70070 to donate £3, or text WOOF03 £5 to 70070 to donate £5.


Mirror ends dog market slaughter in Korea as largest and most notorious is shut down

The market, which supplies about a third of the country's dog meat, has been closed after our undercover investigation exposed the horrific of conditions of dogs being held in cages and slaughtered to eat

The slaughter of dogs in South Korea’s largest dog meat market has been banned – after the Mirror exposed the cruelty behind the trade .

Our investigators went undercover at the Moran and Busan markets to reveal distressing conditions of hundreds of dogs in cages, bred and butchered for their meat.

Moran is the largest and most notorious dog meat market, supplying about a third of the country’s dog meat.

As part of a landmark deal, government officials in the city of Seongnam confirmed dog slaughter facilities and cages will be removed at Moran as early as next week, with full dismantling complete by May.

More than 2.5 million dogs are bred every year on 17,000 farms in South Korea. Their sole purpose is to end up as dog meat in the largely unregulated industry.

It is estimated, since opening in the 1960s, more than 4 million dogs have been sold dead or alive at Moran market alone.

Seongnam Mayor Lee Jae-myung quoted Gandhi when commenting the move to ban the dog meat trade is not only about animal welfare, but the reputation of both the city and South Korea as a whole.

Consulte Mais informação
Artigos relacionados

He said: “We will take the initiative to transform South Korea’s image since ‘the greatness of a nation can be judged by the way its animals are treated’.”

Wendy Higgins of Humane Society International, said: “With other Korean animal groups we have met with Moran dog traders numerous times, so it is potentially momentous that an agreement has been reached between the mayor and dog traders to work towards closing it down.

“The ultimate goal though is to stop the dog meat trade in Moran market completely, including the sale of dog meat.

“Together with our partners KARA, we will monitor the situation on the ground and offer our advice and expertise to the city authorities in what we hope will be full consultation with HSI and others who have fought so hard to end this industry.

“This is just the first step, but a potentially very significant one indeed, possibly even a game changer in our ongoing campaign to see and end to the dog meat trade in South Korea.”

While welcoming the change, the Korean Animal Welfare Association is concerned it might not be fully implemented.

The association said: “We will have to constantly monitor dog meat shops in the market to see if they really stop slaughtering dogs, and the city government will also need to keep pushing the idea to ultimately ban the sales of dog meat here.”

Animal welfare group In Defense of Animals also welcomed the deal but said they too would monitor the situation.

The US based group’s President, Dr. Marilyn Kroplick said: “We thank city officials for taking a humane position. But we expect the dog butchers to set up their dirty business elsewhere, so we’ll remain vigilant and won’t rest until we take dog meat off the menu for good.”

The Mirror was praised for exposing the cruelty of the trade and giving readers the chance to provide a home to six dogs we saved from the hell of a squalid farm.

Comedian Ricky Gervais , who has used his international fame to protest against animal cruelty, said: “I am really glad the Daily Mirror is taking on this issue which, as a dog lover, I care so deeply about.”]

Readers raise £4,600 to save dogs

Generous Daily Mirror readers have raised more than £4,600 to save dogs destined for the slaughterhouse in South Korea.

As part of our world exclusive report from South Korea, we found 200 animals kept in filthy conditions at a farm in Gangwon province, about 100 miles east of the capital Seoul.

The charity Humane Society International (HSI) is working to save the pups bred for their meat, to give them a loving home away from the horror of the farm.

Money raised from donations will go towards rescuing six dogs due to come to the UK in January. Mirror readers will have the chance to adopt one from next month.

Wendy Higgins from His said: “We are so grateful to Daily Mirror readers for donating but more must be done to save these dogs from the hell of the dog meat trade.

“Every time HSI closes down a dog meat farm, and rescues the sick and frightened dogs we find there, we know only too well that every single one of them was intended to end their days in a market like Moran, most likely electrocuted before being butchered.

“It’s such a brutal end to a miserable life.

“Every little helps and goes towards rescuing dogs like these from farms across South Korea.”

If you feel you can give one of these rescue dogs a loving forever home then, to be considered, contact All Dogs Matter at: alldogsmatter.co.uk/adopt-a-dog/

If you would like to help Humane Society International rescue these dogs and stop the dog meat trade, please text WOOF03 £3 to 70070 to donate £3, or text WOOF03 £5 to 70070 to donate £5.


Mirror ends dog market slaughter in Korea as largest and most notorious is shut down

The market, which supplies about a third of the country's dog meat, has been closed after our undercover investigation exposed the horrific of conditions of dogs being held in cages and slaughtered to eat

The slaughter of dogs in South Korea’s largest dog meat market has been banned – after the Mirror exposed the cruelty behind the trade .

Our investigators went undercover at the Moran and Busan markets to reveal distressing conditions of hundreds of dogs in cages, bred and butchered for their meat.

Moran is the largest and most notorious dog meat market, supplying about a third of the country’s dog meat.

As part of a landmark deal, government officials in the city of Seongnam confirmed dog slaughter facilities and cages will be removed at Moran as early as next week, with full dismantling complete by May.

More than 2.5 million dogs are bred every year on 17,000 farms in South Korea. Their sole purpose is to end up as dog meat in the largely unregulated industry.

It is estimated, since opening in the 1960s, more than 4 million dogs have been sold dead or alive at Moran market alone.

Seongnam Mayor Lee Jae-myung quoted Gandhi when commenting the move to ban the dog meat trade is not only about animal welfare, but the reputation of both the city and South Korea as a whole.

Consulte Mais informação
Artigos relacionados

He said: “We will take the initiative to transform South Korea’s image since ‘the greatness of a nation can be judged by the way its animals are treated’.”

Wendy Higgins of Humane Society International, said: “With other Korean animal groups we have met with Moran dog traders numerous times, so it is potentially momentous that an agreement has been reached between the mayor and dog traders to work towards closing it down.

“The ultimate goal though is to stop the dog meat trade in Moran market completely, including the sale of dog meat.

“Together with our partners KARA, we will monitor the situation on the ground and offer our advice and expertise to the city authorities in what we hope will be full consultation with HSI and others who have fought so hard to end this industry.

“This is just the first step, but a potentially very significant one indeed, possibly even a game changer in our ongoing campaign to see and end to the dog meat trade in South Korea.”

While welcoming the change, the Korean Animal Welfare Association is concerned it might not be fully implemented.

The association said: “We will have to constantly monitor dog meat shops in the market to see if they really stop slaughtering dogs, and the city government will also need to keep pushing the idea to ultimately ban the sales of dog meat here.”

Animal welfare group In Defense of Animals also welcomed the deal but said they too would monitor the situation.

The US based group’s President, Dr. Marilyn Kroplick said: “We thank city officials for taking a humane position. But we expect the dog butchers to set up their dirty business elsewhere, so we’ll remain vigilant and won’t rest until we take dog meat off the menu for good.”

The Mirror was praised for exposing the cruelty of the trade and giving readers the chance to provide a home to six dogs we saved from the hell of a squalid farm.

Comedian Ricky Gervais , who has used his international fame to protest against animal cruelty, said: “I am really glad the Daily Mirror is taking on this issue which, as a dog lover, I care so deeply about.”]

Readers raise £4,600 to save dogs

Generous Daily Mirror readers have raised more than £4,600 to save dogs destined for the slaughterhouse in South Korea.

As part of our world exclusive report from South Korea, we found 200 animals kept in filthy conditions at a farm in Gangwon province, about 100 miles east of the capital Seoul.

The charity Humane Society International (HSI) is working to save the pups bred for their meat, to give them a loving home away from the horror of the farm.

Money raised from donations will go towards rescuing six dogs due to come to the UK in January. Mirror readers will have the chance to adopt one from next month.

Wendy Higgins from His said: “We are so grateful to Daily Mirror readers for donating but more must be done to save these dogs from the hell of the dog meat trade.

“Every time HSI closes down a dog meat farm, and rescues the sick and frightened dogs we find there, we know only too well that every single one of them was intended to end their days in a market like Moran, most likely electrocuted before being butchered.

“It’s such a brutal end to a miserable life.

“Every little helps and goes towards rescuing dogs like these from farms across South Korea.”

If you feel you can give one of these rescue dogs a loving forever home then, to be considered, contact All Dogs Matter at: alldogsmatter.co.uk/adopt-a-dog/

If you would like to help Humane Society International rescue these dogs and stop the dog meat trade, please text WOOF03 £3 to 70070 to donate £3, or text WOOF03 £5 to 70070 to donate £5.


Assista o vídeo: Dessa vez não deu pra 12 apuk pegou firme?


Comentários:

  1. Walsh

    SUPER!!!! Seriously very cool.

  2. Kipp

    Bravo, que frase..., uma ideia brilhante

  3. Kahleil

    Você permite o erro. Eu posso provar. Escreva para mim em PM, nós lidaremos com isso.

  4. Taylor

    Entre nós, na minha opinião, isso é óbvio. Eu não gostaria de desenvolver esse tópico.

  5. Westcot

    De boa vontade eu aceito. O tema é interessante, vou participar da discussão. Juntos podemos chegar a uma resposta certa. tenho certeza.



Escreve uma mensagem